Cronologia 1962 Nasce a 21 de maio (o registro civil, no entanto, é de 22 de maio), em Gurigica, Vitória. Segundo filho de Load...

Paulo Roberto Sodré - Biobibliografia





Cronologia



1962
Nasce a 21 de maio (o registro civil, no entanto, é de 22 de maio), em Gurigica, Vitória. Segundo filho de Loadyr Sodré e Maria da Penha Moraes Sodré. Logo em seguida, a família passa a residir em Alto Laje, Cariacica.

1982
Ingressa no Curso de Letras-Inglês, na Universidade Federal do Espírito Santo. De abril a junho, frequenta a oficina literária coordenada por Deny Gomes e Neida Lúcia Moraes.

1984
Publicação de Interiores. Ilustração do livro infantil Era uma vez uma chave, de Francisco Aurélio Ribeiro.

1985
Menção honrosa no Concurso Permanente do Espírito Santo/Poesia, com o título Faunos e neons (livro que seria abandonado. Alguns poucos poemas foram reescritos e incluídos em outros livros). Publicação de poemas de Faunos e neons, na Revista Letra, e de contos, na Revista Cuca. Ilustração do livro de literatura infantil, Leve como a folha, de Francisco Aurélio Ribeiro. Publicação de Ominho, ilustração e texto de literatura infantil. Conclusão do curso de graduação. Produção de De fragmentos, espécie de diário amoroso, em prosa poética Prêmio do Concurso Permanente do Espírito Santo/Romance, com o título Lhecídio: gravuras de sherazade na penúltima noite. Leciona Literatura Portuguesa, na Universidade Federal do Espírito Santo, como professor substituto.

1989
Publicação de Lhecídio: gravuras de sherazade na penúltima noite. Torna-se professor efetivo de Literatura Portuguesa, na UFES, por meio de concurso público.

1990
Publicação de poemas em Palavras da cidade.

1992
Prêmio no Concurso Literário do Departamento Estadual de Cultura/Poesia, com o título Dos olhos, das mãos, dos dentes, publicado no mesmo ano.

1993
Ingressa no Curso de Mestrado em Literatura Portuguesa, na Universidade de São Paulo; mudança para esta cidade. Publicação de poema em Escritos de Vitória: logradouros. Produção de Poemas do desconcerto.

1995
Publicação de poemas em Daqui mesmo, 34 poetas. Conclusão do mestrado e retorno a Alto Laje, Cariacica. Conclusão do livro (ainda inédito) Temporâneos.

1997
Publicação de poemas (do inédito Poemas do desconcerto, escrito em São Paulo) na Revista Você. Conclusão do Mestrado em Literatura Portuguesa, em 1997, na Universidade de São Paulo. Viagem a Portugal.

1998
Publicação do livro De Ulisses a Telêmacos e outras epístolas pelo Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo. Publicação de Um trovador na berlinda: as cantigas de amigo de Nuno Fernandes Torneol, dissertação de Mestrado. Este livro é premiado pelo Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo, na categoria ensaio.

1999
Ingressa no Curso de Doutorado em Literatura Portuguesa, na Universidade de São Paulo, para onde se muda. Estada de seis meses em Lisboa, na Universidade de Lisboa, como parte do Doutorado. Conclusão do livro (ainda inédito) Poemas ridículos: ele passeia em beleza. Produção de A prisão do espelho.

2003
Conclusão do Doutorado.

2006
Publicação de Senhor Branco ou o indesejado das gentes, contemplado no concurso de poesia da Secretaria de Estado de Cultura do Espírito Santo.

2008
Desenvolveu o estágio de pós-doutorado na Universidade Estadual de Campinas. Publicação do ensaio Cantigas de madre galego-portuguesas: estudo de xéneros das cantigas líricas (tradução em galego da tese de Doutorado), pela Xunta de Galícia, em Santiago de Compostela.

2009
Publicação de Poemas de pó, poalha e poeira, contemplado no concurso de poesia da Secretaria de Estado de Cultura do Espírito Santo.

2010
Publicação de Guido, a folha e o capim, contemplado no concurso de literatura infantil da Secretaria de Estado de Cultura do Espírito Santo. Publicação do ensaio O riso no jogo e o jogo do riso na sátira galego-portuguesa, pela Edufes.

2012
Publicação de Poemas desconcertantes seguidos de Senhor Branco ou o indesejado das gentes, livro adotado no Vest-Ufes.

2013
Publicação de alguns poemas de Dos olhos, das mãos, dos dentes, traduzidos para o francês (Animaux à l’affût», tradução de Nazaré Torrão e Guy Poitry.), na Hétérographe: Revue des homolittératures ou pas, de Lausanne, Suíça.


Bibliografia

Livros:

Interiores. Vitória: FCAA, 1984. (Col. Letras Capixabas, 15) – poemas
Ominho. Vitória: FCAA, 1986. (Col. Taruíra, 5) – texto e ilustração infanto-juvenil
Lhecídio: gravuras de sherazade na penúltima noite. Vitória: FCAA, 1989. (Col. Letras Capixabas, 37) – poema romanceado
Dos olhos, das mãos, dos dentes. Vitória: Cidart/DEC-ES, 1992. – poemas
De Ulisses a Telêmacos e outras epístolas. Vitória: Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo, 1998. (Col. Almeida Cousin, 30) – poemas
Um trovador na berlinda: as cantigas de amigo de Nuno Fernandes Torneol. Cotia: Íbis, 1998. (Col. Estudos de Literatura Portuguesa, v. 1).
Senhor Branco ou o indesejado das gentes. Secretaria de Estado de Cultura: Vitória, 2006.
Cantigas de madre galego-portuguesas: estudo de xéneros das cantigas líricas. Tradução em galego de Antonio Carregal. Santiago de Compostela: Xunta de Galícia, 2008.
Poemas de pó, poalha e poeira. Secretaria de Estado de Cultura: Vitória, 2009.
Guido, a folha e o capim. Secretaria de Estado de Cultura: Vitória, 2010.
O riso no jogo e o jogo do riso na sátira galego-portuguesa. Vitória: Edufes, 2010.
Poemas desconcertantes seguidos de Senhor Branco ou o indesejado das gentes. Vitória: Cousa, 2012.

Periódicos:

Revista Cuca (Cultura capixaba). Vitória, ano I, n. 1, p. 18-20, jul.-ago. 1985. Contos: "Tons de outono"; "Até que a morte os reúna" e "Passageiros".
Revista Letra. Vitória, ano V, p. 19-21, 1985.
Palavras da cidade. Vitória: Prefeitura Municipal de Vitória, 1990. p. 25-26. V. I. Poemas.
Escritos de Vitória: logradouros. Vitória: Prefeitura Municipal de Vitória, 1994. p. 107-109. Poema.
Daqui mesmo, 34 poetas. Suplemento Especial de A Gazeta. Vitória, v. 9, nov. 1995. p. 51-52.
Revista Você, Vitória, ano V, n. 45, p. 14-17, maio 1997. Poemas de Poemas do desconcerto (livro inédito).
Revista Você, Vitória, ano VI, n. 56, p. 22-23, abril 1998. Poemas de De Ulisses a Telêmacos e outras epístolas.
Revista Hétérographe: Revue des homolittératures ou pas, Lausanne, n. 10, p. 20-25, automme 2013. Poèmes «Animaux à l’affût», tradução de Nazaré Torrão e Guy Poitry.


Visite o Repertório Literário deste autor.


---------
© 2001 Estação Capixaba. A utilização / divulgação sem prévia autorização representa desrespeito aos serviços de preparação para publicação.
---------


Estação Capixaba

Estação Capixaba é o site voltado para a cultura, história e geografia do Espírito Santo e que busca resgatar, produzir, sistematizar, preservar e divulgar informações nessas áreas, sejam elas de autores locais ou não.

0 comentários :