Há qualquer coisa, aquém do se diz nas frases reflexivas de pensadores e nas tintas dos artistas e nos pentagramas dos músicos e além do qu...

Prefácio ou a mão sem luva


Há qualquer coisa, aquém do se diz nas frases reflexivas de pensadores e nas tintas dos artistas e nos pentagramas dos músicos e além do que se ouve nos receios das comadres e na cal dos coveiros e nos versos dos aforismos, de incandescente na famigerada figura da Morte.

Tinha visto e lido e ouvido sobre ela diversos testemunhos, sempre em penumbra, doídos como fio de música que se cala. Nenhum me impressionou mais do que "Momento num café", do Estrela da manhã, de Manuel Bandeira. Se o conhecia antes de 1993, quando o (re)encontrei numa leitura casual, não me recordo. Deparei-me com ele, em São Paulo, e o meti num trabalho acadêmico para o bandeiriano Arrigucci Júnior.

"Este sabia que a vida é uma agitação feroz e sem finalidade
Que a vida é traição"

Sua sombra se instalou, límpida como um mote inevitável.

No ano passado, recordei-me da "indesejada das gentes", convidada pelo poeta para uma consoada. Imaginei a moça, indesejável embora, nos óculos dentuços de Bandeira. Imaginei um rapaz, não obstante indesejado, em poemas de uma elegia à luz do dia: melancólico, mas belo; implacável, mas leve; inadiável, mas terno.

Veio o primeiro verso. Junto, a ideia de um livro em três partes: I (Percurso de sombra e frescor), II (Percurso de sombra e arrepio) e III (Percurso de sombra e corte). E nada, por enquanto, faz-me desistir de um livro em que ele, a Morte, se manifeste, misterioso como o "Homem de luvas", de Ticiano.

Neste Canteiro de obras* exponho, aos poucos, o percurso. Indesejado?


Paulo Roberto Sodré
Vitória, novembro de 2004.


* Canteiro de Obras era uma das seções de literatura do site Estação Capixaba, criada para publicação de obras literárias em construção. Algumas das obras foram concluídas e impressas, enquanto as demais foram incorporadas nos repertórios literários de cada autor. Com este texto o poeta Paulo Sodré prefaceou sua série de poemas.


---------
© 2004 Textos com direitos autorais em vigor. A utilização / divulgação sem prévia autorização dos detentores configura violação à lei de direitos autorais e desrespeito aos serviços de preparação para publicação.
---------

Paulo Roberto Sodré, nascido em Vitória em 1962, é poeta, escritor, pesquisador e professor universitário de Literatura na Ufes, com vários livros e artigos publicados. (Para obter mais informações sobre o autor e outros textos de sua autoria publicados neste site, clique aqui.)

Estação Capixaba

Estação Capixaba é o site voltado para a cultura, história e geografia do Espírito Santo e que busca resgatar, produzir, sistematizar, preservar e divulgar informações nessas áreas, sejam elas de autores locais ou não.

0 comentários :