Bairro onde mora: Bairro República Bairro onde trabalha: Enseada do Suá Profissão: Professora Naturalidade: Vitória/ES Idade: 33 anos ...

C., professora

5/21/2014 , , 0 Comentários


Bairro onde mora: Bairro República
Bairro onde trabalha: Enseada do Suá
Profissão: Professora
Naturalidade: Vitória/ES
Idade: 33 anos
Tempo de residência em Vitória: 33 anos
Estado civil: solteira
Filhos: –


O que você acha da cidade de Vitória como ambiente para se viver?

– Depende de onde você vive. Há lugares bonitos e, aparentemente, calmos.  É maravilhoso poder ver o mar nesta cidade, dá uma idéia de liberdade, de comunicação e proximidade com outros lugares.


Como descreveria o aspecto físico da cidade?

– A cidade é bem dividida, limpa, pequena, fácil de sair de um bairro e chegar a outro.


Do que você mais gosta em Vitória?

– Poder ver o mar, pena que o horizonte termina com a CVRD.


Você conhece a ilha como um todo? Quais bairros você gosta mais?

– Quase toda, há bairros que, confesso, não sei os nomes, como alguns morros e várias divisões que antes era só o bairro São Pedro. Gosto muito do bairro em que moro, o Bairro República, mesmo com o barulho dos aviões, e também de Jardim da Penha.


Como você se relaciona em Vitória? É fácil fazer amigos? Descreva o perfil do capixaba.

– O capixaba não é muito simpático, não é de tratar mal, mas parece um pouco desconfiado. Não é de distribuir sorrisos.


Quanto às oportunidades de trabalho o que você tem a dizer?

– Não há tão poucas oportunidades de trabalho, mas paga-se mal.


Você frequenta as praças e parques de Vitória? O que acha?

– Costumo frequentar a Praça dos Namorados aos sábados e o Parque da Pedra da Cebola. São lugares bonitos e limpos.


Como descreveria o transporte e o trânsito da cidade?

– Desagradável, mas é difícil não se perder a paciência ao meio-dia ou às 6 da tarde. Não é caótico. Mas é necessário um planejamento rápido para as pontes de Camburi e da Passagem.


Como você se diverte?

– Bares, praias, shoppings e cinemas.


Você participa das tradições que ainda restam? (congadas, procissão dos navegantes, festa da Penha…) e das tradições mais recentes? (Vital, carnaval…)

– Acredito que é de vital importância conservar, prestigiar e incentivar as nossas tradições, como a Festa da Penha, as danças de congo e os nossos desfiles de carnaval. E repensar o Vital, pelo incômodo que provoca aos moradores de regiões próximas a este evento e pela violência. Pena ter este evento baiano uma publicidade tão grande, maior do que realmente faz parte da cultura do capixaba.


Quais são os grandes problemas de Vitória em sua opinião?

– Violência, insegurança e, principalmente, olhar com carinho e vontade de mudar pra melhor a situação das crianças que moram nas ruas da cidade.


E as grandes vantagens de viver aqui?

– A cidade é bem pequena, é fácil de encontrar os amigos e de se chegar a outros lugares.


Conhece o artesanato de Vitória? O que acha?

– O artesanato é rico, com maior destaque às panelas de barro e aos objetos feitos com conchas do mar.


Como você vive em Vitória?

– Vivo bem e sonhando com um prefeito, vereadores e comunidades que façam com que aqueles menores de rua tenham um futuro tranquilo, desfrutando das belezas desta cidade.


---------
© 2014 Texto com direitos autorais em vigor. A utilização / divulgação sem prévia autorização dos detentores configura violação à lei de direitos autorais e desrespeito aos serviços de preparação para publicação.
---------

Estação Capixaba

Estação Capixaba é o site voltado para a cultura, história e geografia do Espírito Santo e que busca resgatar, produzir, sistematizar, preservar e divulgar informações nessas áreas, sejam elas de autores locais ou não.

0 comentários :