Bairro onde mora: Coqueiral de Itaparica Bairro onde trabalha: Praia do Canto Profissão: Professor de Educação Física Naturalidade: Vitó...

L.R.C., professor de Educação Física

5/23/2014 , , 0 Comentários


Bairro onde mora: Coqueiral de Itaparica
Bairro onde trabalha: Praia do Canto
Profissão: Professor de Educação Física
Naturalidade: Vitória
Idade: 35
Estado civil: solteiro
Número de filhos: 0


Você gosta de viver, morar e trabalhar em Vitória? Por quê?

– Nasci em Vitória, mas não cresci nela, fui pra Vila Velha pequeno. Estou organizando minha vida pessoal pra morar próximo ao trabalho. Será uma opção de custo e benefício.


O que lhe agrada particularmente em Vitória? Por quê?

– A proximidade das coisas, quando estou em Vitória faço tudo a pé.


Gosta mais do dia ou da noite em Vitória? Por quê?

– Minha profissão não permite escolher muito, pois trabalho de manhã, tarde e noite. Dessa forma, só me resta a noite após o trabalho, é claro.


Como é a sua relação social com a cidade? É fácil relacionar-se com as pessoas aqui? É fácil fazer amizade e namorar em Vitória? É fácil manter contato com familiares e amigos?

– Minha profissão permite que eu tenha acesso e contato com vários grupos sociais e diante disso fica fácil relacionar-me, nunca tive problema com isso. Em relação a familiares o contato é constante, pois mesmo em municípios diferentes é tudo muito perto, não dá para perder o contato.


Como vê a paisagem de Vitória? O que mais lhe agrada nela?

– Sem dúvida a orla é fantástica e a paisagem arquitetônica ajuda muito, pois é tudo muito novo.


Encontra amigos e conhecidos com frequência nas ruas, lojas, etc. de Vitória? Participa de grupos ou comunidades? Participa de tradições e festas populares?

– Encontro amigos quase sempre em meu trabalho. O grupo de que participo é o do futebol do fim de semana. Não participo de festas populares ainda.


Como vê a cidade em relação aos idosos e às crianças?

– Estruturalmente, se for essa a intenção da pergunta, a cidade tem modificado sua estrutura pra atender essa demanda, observamos as calçadas, comércios, transporte adaptando-se para esse público.


Como vê a questão da saúde em Vitória?

– Nos dias atuais, iremos conviver cada vez mais com idosos, pois a alimentação mudou e diante disso as pessoas vivem mais e melhor. A “cidade” já entendeu essa mudança de comportamento e de genética, basta observar os projetos e programas ligados à saúde para a terceira idade, desenvolvidos nos bairros e centros comunitários. São academias populares, módulos de ginástica, programas para a saúde da família, enfim, são programas facilmente encontrados nos espaços públicos para promoção da saúde. Da mesma forma com as crianças.


Como vê a questão da educação em Vitória?

– Percebe-se que na educação de modo geral só muda o cenário, mas os problemas repetem-se. Como exemplo: os aspectos disciplinares dos alunos, baixos salários, total despreparo por parte dos professores, violência, alto índice de retenção de alunos nas séries, evasão escolar, entre outros. Para melhorar depende de muita coisa, de vontade política, de uma legislação justa, de incentivo aos profissionais, de investir na base que é a família, só assim alcançaremos o objetivo principal que é a educação.


E a questão da segurança?

– Nosso país é um lugar bom de viver, no entanto, a corrupção gera uma gama de situações que desencadeiam uma avalanche de problemas sociais. Temos sempre que pagar a conta com impostos e esses, nem sempre, são destinados para os devidos fins. Está cada vez pior.


E a questão do saneamento?

– Há muito que se fazer ainda, mas esses buracos distribuídos na cidade [obras públicas] já são um começo.


O que Vitória oferece em termos de lazer? E quais são as suas opções pessoais de lazer?

– Praias, espaços esportivos, shopping. Minhas opções são filmes, praia, futebol, jogar conversa fora com amigos, rir das coisas.


Como está a questão do transporte coletivo e do trânsito em Vitória?

– [Para] essa questão infelizmente não percebo solução, pois quando construíram Vitória não pensaram que a população iria crescer um dia e junto disso a quantidade de carros também. O transporte e o trânsito são ruins.


Como é Vitória em termos de habitação?

– A construção civil está em ascensão, e a arquitetura é nova e moderna, mas pra morar é difícil, não tem espaço, tem muitas obras por aí.


E em termos de oportunidades de trabalho?

– Está crescendo cada vez mais. Temos grandes empresas em Vitória, Arcelor Mittal, Petrobras, Vale do Rio Doce. Tem que correr atrás, e criar as oportunidades.


Como está a poluição sonora em Vitória?

– Aumentando devido ao progresso absurdo.


Como definiria sua vida em Vitória?

– Fui morar muito cedo em Vila Velha e nunca trabalhei em Vila Velha. Agradeço à cidade de Vitória, pois tudo que conquistei até hoje na vida foi nessa cidade, seja profissional e/ou pessoal.


---------
© 2014 Texto com direitos autorais em vigor. A utilização / divulgação sem prévia autorização dos detentores configura violação à lei de direitos autorais e desrespeito aos serviços de preparação para publicação.


---------

Estação Capixaba

Estação Capixaba é o site voltado para a cultura, história e geografia do Espírito Santo e que busca resgatar, produzir, sistematizar, preservar e divulgar informações nessas áreas, sejam elas de autores locais ou não.

0 comentários :