Homero Massena Para os que me conhecem como pintor mineiro, de Barbacena, ignoram que filho de capixaba para aqui fui transportado aos ...

Adeus


Homero Massena


Para os que me conhecem como pintor mineiro, de Barbacena, ignoram que filho de capixaba para aqui fui transportado aos seis meses de idade, só saindo aos oito anos para Ouro Preto onde fui estudar.

Era raro o ano em que não passava dois ou três meses em Vila Velha, terra de minha adoção, onde passei quase toda minha infância e que inspirou muitas de minhas telas, expostas não só em outros Estados, como em exposições na Europa. Em uma de minhas estadias em Vitória fui convidado por minha saudosa parenta e grande educadora Ernestina Pessoa (Dona Neném) para lecionar no Liceu Filomático. Dentre os meus alunos destacava-se o menino Jones dos Santos Neves. Dada a sua invulgar tendência artística, procurava-me constantemente trazendo desenhos e pequenos ensaios de aquarelas, que eu corrigia, dando-lhe aulas particulares. Dada a docilidade de seu caráter e a muita distinção com que me tratava, afeiçoei-me ao menino Joninho, como o chamava. De certa feita, como me recusasse a aceitar pagamento pelas minhas aulas, trouxe-me de presente um pequeno alfinete de gravata, uma turmalina verde que usei por muitos anos.

Quando Jones dos Santos Neves foi nomeado interventor no Espírito Santo, lembrava-me do Joninho, certo de que teria se esquecido do velho professor. Engano. Muitas vezes saía do Palácio para visitar-me em meu modesto “mocambo” alugado em Vila Velha, onde adquiriu Solidão, o grande quadro hoje colocado no Salão de Despachos do Palácio Anchieta.

Mais tarde, eleito governador do Estado, um de seus primeiros atos foi o de convidar-me para retornar a Vitória com a finalidade de criar e dirigir, como professor e diretor, a Escola de Belas Artes da Universidade do Espírito Santo. E uma das únicas lembranças que existem de Jones, como criador da Universidade, está em uma placa de bronze que fiz fundir, colocada hoje no pavilhão da Universidade onde se ministra o ensino das artes e que me deram a honra de batizar com o meu nome.

Sim, não me conformo com o desaparecimento do grande governador!

Adeus, querido Joninho.


---------
© 2001 Texto com direitos autorais em vigor. A utilização / divulgação sem prévia autorização dos detentores configura violação à lei de direitos autorais e desrespeito aos serviços de preparação para publicação.
---------
Homero Massena nasceu em 1886 e faleceu em 1974. Mineiro por nascimento, era filho de capixaba e adotou Vila Velha, ES, como sua cidade, onde viveu boa parte de sua vida. Apesar de ter-se formado em Odontologia, seu nome ficou conhecido por seu trabalho como pintor. Foi o primeiro diretor do Centro de Artes da Ufes.

Estação Capixaba

Estação Capixaba é o site voltado para a cultura, história e geografia do Espírito Santo e que busca resgatar, produzir, sistematizar, preservar e divulgar informações nessas áreas, sejam elas de autores locais ou não.

0 comentários :