Filho do comerciante de tecidos Hans De Laet, Joannes De Laet nasceu em Antuérpia, entre setembro e dezembro de 1581. Em 1584, a...

Joannes De Laet - Biobliografia



Filho do comerciante de tecidos Hans De Laet, Joannes De Laet nasceu em Antuérpia, entre setembro e dezembro de 1581. Em 1584, após a queda de Antuérpia para as tropas espanholas, a família, como dezenas de milhares de protestantes flamengos, fugiu para a Holanda do Norte e se estabeleceu em Amsterdã. Lá, Johannes frequentou a escola Latina. Matriculou-se na Universidade de Leiden, em 1597, onde cursou Teologia e Filosofia. Um dos seus professores foi o grande estudioso e humanista Joseph Justus Scaliger, com quem manteve correspondência até a morte deste último.

Em 1603, concluída a graduação, seu pai o enviou para Londres para ganhar experiência como um comerciante. Lá ele se casou Jacobmijntje van Loor, filha de um comerciante anglo-holandês, voltando para Leiden em 1607, após morte prematura de sua mulher. Casou-se novamente em 7 de maio de 1608 com Maria Boudewijns van Berlicum, em Leiden.

De Laet aumentou sua fortuna investindo em terras e comércio exterior, tornando-se um dos diretores fundadores da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais, em 1620, cargo que manteve durante o resto de sua vida. A cidade de Leiden o enviou como um ancião-delegado para o grande Sínodo de Dort (1618-1619).

Em seu tempo de lazer, De Laet dedicava-se aos estudosa, bem abastecido com livros, manuscritos, mapas, globos e pinturas. Publicou amplamente sobre temas que vão desde a história da igreja, até a história do mundo, tendo editado Historia naturalis, de Plínio, e Arquitetura, de Vitruvius, escreveu um relato detalhado do Novo Mundo e compilou um Dicionário Inglês antigo-Latim (inédito), para mencionar apenas uma seleção de suas quarenta publicações.

Entre seus muitos correspondentes estão os antiquários  ingleses William Camden, Sir Henry Spelman, Sir William Boswell, Abraham Wheelock, Sir Simonds D'Ewes, James Usher, Patrick Young, John Morris e o dinamarquês Worm Ole.

Como geógrafo e etnógrafo, escreveu descrições de países como França (1629), Espanha (1629), Bélgica (1630), Turquia (1630) e Portugal (1642).

De Laet manteve uma acirrada polêmica com Hugo Grócio sobre a origem dos povos ameríndios, que Grócio considerava serem descendentes de noruegueses, etíopes e chineses. A polêmica resultou numa troca de opiniões entre os dois estudiosos na década de 1640.

De Laet morreu em dezembro 1649, enquanto em Haia. Ele foi enterrado no Pieterskerk, Leiden, no dia 14, ao lado de Maria Boudewijns, que havia morrido em 1633.

Publicações de sua autoria

História do Novo Mundo - foi publicada em várias edições por Bonaventure & Abraham Elseviers, Leiden. A primeira edição foi impressa em holandês, em 1625, como Nieuwe Wereldt ofte Beschrijvinghe van West-Indien, uit veelerhande Schriften ende Aen-teekeningen van verscheyden Natien; uma segunda edição também em holandês, saiu em 1630, como Beschrijvinghe van West-Indien; a edição em latim, de 1633, preparada por ele mesmo, intitulada Novus Orbis seu descriptionis Indiae Occidentalis Libri XVIII; em 1640 ele publicou uma edição francesa, também com sua própria tradução, como L'Histoire du Nouveau Monde ou description des Indes Occidentales. Cada uma das edições apresentava mapas atualizados.

O Império da Grande Mogul, traduzido por J. S. Hoyland com S. N. Bannerjee. Taraporevela, Bombaim, 1928. Reeditado por Munshiram Manoharlal, Nova Deli, 1975, ISBN 81-7069-041-2.

Persia, 1633.

[In <https://en.wikipedia.org/wiki/Joannes_de_Laet>]

Estação Capixaba

Estação Capixaba é o site voltado para a cultura, história e geografia do Espírito Santo e que busca resgatar, produzir, sistematizar, preservar e divulgar informações nessas áreas, sejam elas de autores locais ou não.

0 comentários :