Para comemorar o primeiro centenário do imigrado no Espírito Santo, me propus escrever sua origem e causas e recordar os acontecimentos rele...

D. Cavatti

1/01/2016 , 0 Comentários

Para comemorar o primeiro centenário do imigrado no Espírito Santo, me propus escrever sua origem e causas e recordar os acontecimentos relevantes.

Dei-me à pesquisa. Morei na Biblioteca Municipal e Arquivo. Pouco material encontrei que interessasse o meu caso específico. Há muito material sobre São Paulo e Estados Sulinos.

Escrevi trinta cartas a pessoas que eu admiti poderiam me informar. Poucos atenderam meu apelo. Devem estar absorvidos em suas ocupações. Mas alguns me agraciaram com atenciosa solicitude. Entre estes destaco, com especial menção, o nosso conterrâneo ilustre, entre os que mais o sejam, o príncipe da Igreja, o venerando dom João Cavatti, bispo resignatário de Caratinga, recolhido no Colégio São Vicente de Paula. Nosso primeiro encontro foi telefônico. Acordamos um encontro pessoal.

Emocionei-me ao beijar-lhe a mão que por muitos anos abençoou a gente rude e boa de Caratinga, onde apostolou por muitos anos. Tais foram suas obras pias e educativas que o governo mineiro criou um município, na zona da mata, com o nome de dom Cavatti.

Disse-me o prelado que responderia minha carta inquérito, dependendo de coordenar suas notas, com as quais estava escrevendo um opúsculo sobre o assunto... Passaram-se semanas. Qual não foi minha surpresa, quando, antes de ontem, recebi, de Sua Reverendíssima, em primeira mão, a oferta régia da História do Imigração Italiana no Espírito Santo, de sua autoria.

É uma bela obra. Contém 140 páginas em tamanho 16x20. Linguagem simples, sincera e escorreita. Bem documentada, com certa condição que lhe reforça o pensamento expositivo.

Dom Cavatti é filho de imigrantes italianos, nascido em Todos os Santos, vila de Guarapari, próximo ao município de Alfredo Chaves. É testemunha autêntica da fundação dessa comunidade. Sabe-lhe a origem, conhece-lhe os pioneiros, interessou-se por todo o fenômeno imigratório que valorizou o Espírito Santo nos últimos 25 anos do século passado. Historia, em XIX capítulos, toda a trama que envolveu as dezenas de milhares de camponeses que partiram das montanhas agrestes dos Alpes, das margens recurvadas do Pó, em busca de uma nova pátria onde encontrassem pão abundante e paz de espírito.

Antes de alcançarem porém, percorreram um calvário de sofrimento.

O livro analisa a contribuição dos colonos italianos sob todos os aspectos: demográfico, econômico, sócio-religioso. Destaca a figura de Frei Marcellino, enviado no Espírito Santo pelas autoridades venetas, para ministrar assistência espiritual aos colonos, principalmente de Alfredo Chaves. Foi sacerdote de grandes virtudes.

A obra de dom Cavatti é um documentário indispensável aos filhos de italianos e aos historiadores dos fatos espiritossantenses.

Enriquece as letras históricas e literárias das nossas pobres bibliotecas.

Luiz Serafim Derenzi nasceu em Vitória a 20/3/1898 e faleceu no Rio a 29/4/1977. Formado em Engenharia Civil, participou de muitos projetos importantes nessa área em nosso Estado e fora dele. É autor de vários livros. Mais informações na seção "Personalidades" e "Pesquisadores".


[DERENZI, Luiz Serafim. D. Cavatti. Artigo publicado em A Gazeta, Vitória, 01/11/1973. Reprodução autorizada pela família Avancini Derenzi.]

---------
© 2001 Texto com direitos autorais em vigor. A utilização / divulgação sem prévia autorização dos detentores configura violação à lei de direitos autorais e desrespeito aos serviços de preparação para publicação.
---------

Luiz Serafim Derenzi nasceu em Vitória a 20/3/1898 e faleceu no Rio a 29/4/1977. Formado em Engenharia Civil, participou de muitos projetos importantes nessa área em nosso Estado e fora dele. (Para obter mais informações sobre o autor e outros textos de sua autoria publicados neste site, clique aqui)

Estação Capixaba

Estação Capixaba é o site voltado para a cultura, história e geografia do Espírito Santo e que busca resgatar, produzir, sistematizar, preservar e divulgar informações nessas áreas, sejam elas de autores locais ou não.

0 comentários :