ANOTAÇÕES DE ALUNAS DO COLÉGIO DO CARMO  (documentos ID 301 a 400)  (Clique no número de identificação para visualizar o documento) ...

Preservação e divulgação de registros do Folclore capixaba: Inventário Parte IV

Alunas do Colégio do Carmo em pesquisa, Guarapari, ES, anos 50.

ANOTAÇÕES DE ALUNAS DO COLÉGIO DO CARMO
 (documentos ID 301 a 400)

 (Clique no número de identificação para visualizar o documento)
  
ID

Classe

Título/Assunto

Pesquisador

Local

Data

301 Superstição / Adivinha / Poesia Ana Maria Ruy, Colégio do Carmo 18/05/1954
302 Adivinha / Cantiga / Poesia D. Mariquinha / Sambalelê / Rolinha andou, andou Valéria Maria Miranda
303 Cantiga / Poesia / Adivinha / Brincadeira
304 Poesia / Superstição / Adivinha Sônia Maria Rogério
305 Cantiga Dorme, neném / Tutu marambá Vitória
306 Cantiga Dorme neném / Su, sururu / Palminha de Guiné Edelvira Scarton Coutinho Fundão
307 Cantiga Dorme, dorme, filhinho / Dorme, neném (2) / Chuva choveu / Su, sururu (2) / Tutu marambá Cecy Roque Pratti Linhares
308 Cantiga / Poesia Su, sururu / Dorme, neném / Batatinha quando nasce / Dorme, filhinha / Maria lavava, José estendia  / Eu encontrei Maria na beira do rio / Boi, boi, boi Dulce Alvarenga Vitória
309 Cantiga Dorme, neném (2) Therezinha Souza
310 Cantiga Su, sururu / Boi, boi, boi (2) / Dorme, neném / Serra, serrador / Bicho papão Cléa Azevedo Rangel
311 Cantiga / Poesia Essas moças de hoje em dia / Este amor não é meu / Lá em cima daquele morro / Laranjeira pequenina / Eu gosto da letra M / Uma velha, muito velha / Eu caí num poço fundo / Se esta riua fosse minha / Sete e sete são quatorze / Minha mãe brigou comigo / Os rapazes hoje em dia / Lá vem a lua saindo / Minha sogra me odeia Zilah Ribeiro Viana
312 Cantiga Meu limão, meu limoeiro / Sambalelê / Babão (Pião) / A canoa virou / Ora vamos buscar areia / A dança da carochinha / O cravo estava doente / Luciana Vellozo Soneghet, 4ª série A Viana / Vila Velha / Vitória
313 Cantiga / Crendice Oi, que noite tão bonita / Pipiripipi, olé / A pombinha voou / É de beira-mar, saudade
314 Cantiga / crendice Conheci um nego Vitória
315 Cantiga Pão, pão, pão / Ô Maria, você quer ser freira? / Minha mãe, quando eu morrer, me enterre lá no terreiro / O menino já nasceu / Papai, mamãe, vem ver vovó / Olha a rolinha, tiu, tiu Marilena V. Soneghet Vitória / Viana / Vila Velha
316 Cantiga Pombinha branca, o que estais fazendo? / Dorme, neném Alda Maria Passos Corrêa
317 Cantiga Bicho papão / Xô, pavão, de cima do telhado / Dorme, neném (2) / Tutu marambá / Mucama tão feia / Dorme, dorme, filhinho (2) / Boi, boi, boi / Dorme, dorme, ó meu amor /  Minha mamãe tão querida Edith Wenersbach, 4ª série Afonso Cláudio / Domingos Martins / Guarapari / Vitória
318 Cantiga / Superstição Carneirinho, carneirão / Se essa rua fosse minha / Que é de Valentim / Alecrim da beira d'água / Em cima daquele morro Izette Pralon 14/04/1950
319 Cantiga Penedo vai, Penedo vem / Nesta rua, nesta rua tem um bosque / Olha o lírio, lírio branco / Meu amor é marinheiro / Ciranda, cirandinha / O cravo brigou com a rosa Cecy Roque Pratti, 4ª série A Linhares / Vitória
320 Cantiga Nesta rua, nesta rua tem um bosque / Quantos peixes tem no mar? / Olha o lírio, lírio branco / Penedo vai, Penedo vem / Meu amor é marinheiro / D. Mariquinha, tão engraçadinha Edinéa C. Gama Linhares
321 Cantiga Nesta rua, nesta rua tem um bosque / Tenho uma linda laranja, ó menina / A canoa virou / Quantos peixes tem no mar? / Olha o lírio, lírio branco / Penedo vai, Penedo vem / D. Mariquinha, tão engraçadinha / Deita aqui no meu colinho / Meu amor é marinheiro / Sete e sete são quatorze Marina
322 Cantiga Ao passar da barca / Eis um rochedo tão alto / Os olhos de Marianita / Quebra, quebra gabiroba Maria Fausta Quinteiro Anchieta
323 Cantiga Se essa rua fosse minha / Minha sogra é ouro fino / Atravessei um rio a nado Marluza O. Pestana São Mateus / Colatina 02/04/1955
324 Cantiga Um rochedo tão alto Therezinha Machado Dantas Vila Velha 21/05/1950
325 Cantiga / Poesia o amor que tu me tinhas / Meu amor é pequenino / Minha mãe me deu um cravo / Meu amor é bonitinho / Sete e sete são quatorze / Lá em cima daquele morro / A açucena com o pé n'água / Plantei um pé de alecrim / Ciranda, cirandinha / Esta note fui a um baile / O cravo brigou com a rosa / Eu caí no poço fundo / Quem me dera estar agora / Quem me dera, dera, dera / No dia que eu me casei / Minha mãe brigou comigo Horlanda Furno
326 Cantiga / Poesia Em cima daquele morro (3)  / Meia-noite era passada / Gosto da letra M / Fui na cozinha / Eu quebrei a moringuinha Minha mãe brigou comigo / A velha saiu da igreja / O anel que tu me deste / Menina, diga a seu pai / Entre pedras e pedrinhas Sônia Maria L. da Escóssia Vitória
327 Cantiga Um rochedo tão alto Nilva Toniato
328 Cantiga Um rochedo tão alto Thereza Lindenberg
329 Cantiga / Poesia Menino que chora, não dorme na cama / Su, sururu / Dorme, dorme, filhinho / Maria lavava, José estendia Cléa Lygia Carvalho
330 Poesia / Brincadeira / Adivinha / Trava-língua /Cantiga Dorme, neném / Os olhos verdes são falsos / Desconfio que a saudade Sylvia Helena Marreco
331 Cantiga Ciranda, cirandinha / A casinha da vovó / É tão bonito ser polida / Sete e sete são quatorze / Laranjeira pequenina Anna Maria Pimentel 02/04/1955
332 Cantiga Lá vem a sinhá marreca Nilsa Rossi Colatina
333 Cantiga / Parlenda / Brincadeira Engenho novo Anna Angélica Ottoni Barbosa Vitória
334 Poesia / Cantiga Com S escrevo saudade / Lá em cima daquele morro (3) / Minha mãe brigou comigo (3) / Meu limão, meu limoeiro / Quem tiver os seus amores / As estrelas do céu correm / Não te cases, solteirinha / O anel que tu me deste / Esta noite eu tive um sonho / Meu irmão viu um navio / Se eu sobubesse quem tu eras / A casinha da vovó Maria da Penha Arraújo Vitória / Rio de Janeiro 26/03/1949
335 Brincadeira / Cantiga Uni-duni-tê / Sambalelê está doente Marilza Rosetti 02/04/1955
336 Cantiga Ciranda, cirandinha / O cravo estava doente / Um dia um pastorzinho Amélia Nunes 02/04/1955
337 Cantiga Ciranda, cirandinha / O anel que tu me deste / Dona Mariquinha, tão engraçadinha Denise Wanderley, 4ª série B 02/04/1955
338 Cantiga Dorme, neném / Bicho papão / Maria lavava, José estendia / Não chores, menino / Menina bonita / Su, sururu / Pombinha loura o que esta fazendo? / Dorme, dorme, filhinho / Boi, boi, boi / Xô, pavão, de cima do telhado Nilsa Rossi Colatina / Vitória / Santa Teresa
339 Cantiga / Poesia / Crendice / Superstição Meu limão, meu limoeiro / Batatinha quando nasce / Abacate é boa fruta / Em cima daquele morro (3)/ De vermelho veste a rosa / Geny caiu no chão fez pa-po / Lá do alto caiu um cravo / Acordei de madrugada / O cravo brigou com a rosa / Menina, minha menina / A folha da bananeira Aurora Marques Araújo 16/10/1954
340 Cantiga / Crendice Pão, pão, pão é de leite / Põe aqui o seu pezinho Edna Maria Ceccato 04/09/1954
341 Cantiga Seu príncipe está lá dentro (Gata espichada) / Os olhos de Marianita Therezinha de Jesus Freitas, 4ª série B Vitória
342 Poesia O filho de gente rica / Maria e José vão para Belém Ilmar Mascarenhas Castro mai/48
343 Cantiga O que tens, ó Juliana, estás tão triste a chorar Yolanda Rios,  4ª série São Mateus
344 Cantiga Ao passar da barca / Seus príncipe está lá dentro (Gata espichada) Jucutuquara, Vitória
345 Cantiga Menina vamos jogar / Tutu marambá / Põe aqui o teu pezinho / Babão entrou na roda, ô babão (Pião entrou na roda, ô pião) Verônica Sebastiannes de Araújo
346 Cantiga Meu amor é marinheiro, ó marinheiro / Dona Mariquinha, tão engraçadinha / Constância, meu bem, Constância / Dominó / Dentro do meu peito tem um cravo roxo dourado / A canoa virou / Ó bela Lilia / Meu limão, meu limoeiro Elba Fregonassi
347 Cantiga Menina vamos jogar / Tutu Marambá / Palma, palma, palma Dilcéa Botelho Queiroz 04/09/1954
348 Cantiga Meu limão, meu limoeiro / Se essa rua fosse minha Janete Dione Cesar 12/04/1955
349 Cantiga / Poesia / Adivinha Ciranda, cirandinha / Lá em cima daquele morro / Sou pequenina da perna grossa / Tudo o que nasce no mundo / Sambalelê está doente Léa Brígida Rocha Cachoeiro de Itapemirim
350 Cantiga Ó bela Lilia / Os olhos de Marianita
351 Cantiga Ó bela Lilia Vitória
352 Cantiga Teresinha de Jesus / Carneirinho / Tenho uma linda laranja, ó menina / Dona Mariquinha, tão engraçadinha / Quebra, quebra gabiroba / Dominó / Nessa rua, nessa rua tem um bosque / Ó que rochedo tão alto / Rolinha andou, andou Vitória
353 Cantiga Menina vamos jogar / Tutu marambá / Palma, palma, palma / O cravo estava doente Hyara Rodrigues Carvalho
354 Cantiga Dorme, neném / Xô, xô, papão / Boi, boi, boi / Bam, baladão Tânia Lúcia M. Soares, 1° ano Normal Macéio, Alagoas
355 Cantiga Dorme, neném / Xô, pavão / João corta pau / Bicho tutu, atrás do murundú / Filhinho de mamãe não dorme no chão / Vai dormir, neném / Encontrei Nossa Senhora, na beira do rio / Dorme, filhinho / Vamos menina, vamos Lya Maria Vivacqua
356 Cantiga Dorme, dorme, meu filhinho / Eu ainda bem me lembro / Tutu marambá / Su, sururuAcordei de madrugada, fui varrer a Conceição / Dorme, neném (2) / Dorme, filhinho / Boi, boi, boi / Batatinha quando nasce / Maria lavava, José estendia / Sônia Maria L. da Escóssia
357 Cantiga Dorme, dorme, filhinho (2) / Boi, boi, boi (2) / Sapo jururú / Menino bonito, que não merendou / Palminha de guiné Ilka Santos Vitória 13/11/1949
358 Cantiga Dorme, dorme, filhinho / Lu, lu, lu, detrás do murundú / Ivete Menezes Itaguaçu
359 Cantiga Tutu marambá / Dorme, neném (2) / Su, sururu / Fui no mato, criola, cortar cipó, criola / José lavava, Maria estendia / A feiticeira disse que vem te pegar / Meu filhinho, vá dormir / Sapo jururu / Boi, boi, boi / Su, sururu / Dorme, dorme, filhinho Maria da Glória Barros, 4ª série Vitória
360 Cantiga Dorme, neném Jucutuquara, Vitória
361 Cantiga Sapo jururu / Su, sururu / Dorme, filhinho / Maria Lucinda
362 Cantiga Lu, lu, lu, lulu de carumbú (murundú)/ João pica pau, Maria mexe angu / Dorme, neném / Sapo jururu / Maria Luiza Silva Pinto, 4ª série Viçosa, MG 12/11/1949
363 Cantiga Boi, boi, boi / Sai pavão, de cima do telhado / Sapo jururu / Maria lavava, José estendia / Dorme, dorme, filhinho / Dorme, filhinho (4) / Dorme, neném (2) / Menina vonita, não dorme na cama /  Dorme, meu filhinho / Su, sururu / Léa Beiriz Carvalho Vitória / Piúma / Campos, RJ / Iconha 11/11/1949
364 Cantiga Boi, boi, boi / Dorme, dorme, neném / Sai bicho papão Maria de Lourdes Basílio, 1° Normal
365 Cantiga Os olhos de Marianita Maria Vasconcellos 02/10/1949
366 Cantiga Ó bela Lilia / Os olhos de Marianita Jucutuquara, Vitória
367 Cantiga Vamos brincar de roda, ó morena / Gira, gira, vamos girar, em volta da fogueira vamos dançar / Abra a roda, ó gente, oi sim, sim, sim / Linda morena, com você quero casar, já pedi a Santo Antônio / O meu chapéu tem três pontas / O casamento da Rosinha / Faz três noites que eu não durmo, ô la, la / Teresa é pedra, é pedra de amolar / Lá vem a Sinha Marreca / Meus senhores, vocês não sabem, o fato que sucedeu Marília Benezath Cabral, 4ª série B
368 Cantiga A dança do sarapico Regina Freitas Vitória
369 Cantiga Dorme, meu filho / Dorme, filhinho (3) / Filhinho está com sono / Dorme, neném (2) / Bicho papão / Xô, xô pavão (2) / Lu, lu, lu, atrás do murundú (2) Jurema F. Rocha Vitória / Santa Leopoldina / Cariacica
370 Cantiga Dorme, filhinho / São João se bem soubesse quando era o seu dia / Su, sururu / Tutu marambá / Boi, boi, boi / Mucama tão feira Marly Gianordoli
371 Cantiga / Poesia O balão vai subindo / Pensando na cabrocha Olga Maria Queiroz Coutinho
372 Poesia / Cantiga Ninguém viu o que eu vi hoje, lá no largo da Matriz / Candeeiro de dois  bicos / Bastardinha e Latervina
373 Cantiga Seu prícnipe está lá dentro (Gata espichada) Therezinha Simões Colatina / Vitória / São Domingos do Norte
374 Cantiga / Poesia / Crendice Os olhos de Marianita / As moças de hoje em dia, só pensam em namorar Adonir Perini 18/05/1954
375 Poesia / Cantiga Falais de mim, falais de outro, reparai na tua casa / Cigarrinho de papel / Apaguai a lamparina, acendei o lampião / Candeeiro anda roda Mara Barcellos 18/05/1954
376 Cantiga Dorme, neném (2) Cariacica
377 Cantiga Ó bela Lilia Zoé Costa 01/10/1949
378 Cantiga Donde vem, linda menina / Candeeiro, á / Dona Mariquinha, tão engraçadinha / Ô fulana você quer ser freira, não senhora, quero me casar
379 Cantiga Bicho papão, sai de cima do telhado / Sapo jururú / Nessa rua, nessa rua tem um bosque / Que tens, ó Juliana / Dionê Muniz Freire, 4ª série 29/05/1948
380 Cantiga Dorme, neném / Mucama tão feia / Su, sururu / Boi, boi,  boi / Maria lavava, José estendia Iêdda Magaly Lacerda Vitória 05/05/1950
381 Cantiga Dorme , neném
382 Cantiga / Poesia Ciranda, cirandinha / Eu sou pequena da perna grossa / Morena, minha morena / Ao passar da barca / Sete e setesão quatorze / Laranjeira pequenina, carregadinha de flor / Joguei o limão pra cima / Eu caí no poço fundo Ely Menezes de Souza Leão
383 Cantiga / Poesia No dia em que me casei / Fui à fonte beber água / A lua já vem saindo / Você disse que preto é feio / Meu anel de pedra verde / Com S escrevo saudades / Menina de vestido branco /  Lá do céu caiu um cravo / Eu subi no pé de lima / Meu amor não é aquele / Se eu sobesse que tu vinhas / minha mãe é uma coruja / Minha mãe estava doente / Se eu sobesse escrever na água / Minha mãe brigou comigo / Meu limão, meu limoeiro / Capim verde, capim verde, onde meu benzinho sentou / Laranjeira ao pé da porta Maria Zanotti Itapina
384 Cantiga Dorme, filhinho / Dorme, neném Maria Vasconcellos Ceará
385 Cantiga João bota a mesa, Maria lava a roupa / Dorme, filhinho / Dorme, neném / Nicéa Martins da Cunha
386 Cantiga Dorme, dorme, filhinho / Boi, boi, boi / Dorme, filhinho (2) / lu, lu,lu, lu, atrás do murundú Diuzeth Corrêa da Silva Itarana
387 Cantiga Dorme, dorme, filhinho Minha mãe, tão pobrezinha, coitadinha / Nossa Senhora lavava, São José estendia / Sapo cururu / Xô, xô, pavão / Dorme, meu filhinho (2) /  Mucama tão boa Rosel Farah Niterói, RJ / Vitória
388 Cantiga Boi, boi, boi / Mucama tão feia / Dorme, dorme, filhinha / Dorme, neném / Bicho papão / Dorme, filhinho Maria Thereza Dalla Almeida Colatina / Santa Leopoldina 04/05/1950
389 Cantiga / Poesia Se esta rua fosse minha / Lá em cima daquele morro / Vem cá, bitu, vem cá, bitu / O cravo brigou com a rosa / O M é uma letra, que faz parte do ABC / O anel que tu me deste / Senhora da Penha, que a todos conduz Maria Isabel
390 Cantiga / Adivinha / Poesia / Superstição Eu plantei um pé de rosa / Batatinha quando nasce / Nasci pequena, pequena sou (avenca) /  Lá em cima daquele morro / Minha mãe se chama Rosa Ivelize Edinetto Chiabai 16/10/1954
391 Cantiga Lá vem a sinhá marreca Marly Gianordoli Santa Leropoldina
392 Cantiga Lá vem a sinha marreca Maria Olga Setúbal Vitória
393 Cantiga Babão entrou na roda, ó babão (pião entrou na roda, ó pião) / Lenço branco no pescoço, oi tim / Eu fui ao tororó / A maré encheu / Nossa Senhora, à beira do rio Maria da Penha Silva Colatina, Cachoeiro de Itapemirim / Vitória 10/04/1954
394 Cantiga Nesta rua, nesta rua tem um bosque / E vem a chuva, sabiá / Carambola, carambola, vamos todos carambolar
395 Cantiga Carneirinho, carneirão / Tenho uma linda laranja, ó maninha / Penedo vai, penedo vem / Dona Mariquinha, tão engraçadinha / Rolinha andou, andou, caiu / Menina da saia branca Dionê Muniz Freire Praia do Canto, Vitória
396 Poesia / Cantiga Era um coqueiro tão alto / Ora me diga senhora viúva Maria Lucinda, 4ª série B Iconha
397 Cantiga Ao passar da barca / Ó que rochedo tão alto / Os olhos de Marianita Maria da Penha São Mateus / Vitória
398 Cantiga Meu limão, meu limoeiro / Sete e sete são quatorze Vitória
399 Cantiga Ó que rochedo tão alto Jannet Santos Vitória
400 Cantiga O cravo brigou com a rosa Rita de Cássia


Estação Capixaba

Estação Capixaba é o site voltado para a cultura, história e geografia do Espírito Santo e que busca resgatar, produzir, sistematizar, preservar e divulgar informações nessas áreas, sejam elas de autores locais ou não.

0 comentários :