ANOTAÇÕES DE ALUNAS DO COLÉGIO DO CARMO  (documentos ID 401 a 500)  (Clique no número de identificação para visualizar o documento) ...

Preservação e divulgação de registros do Folclore capixaba: Inventário Parte V

Alunas do Colégio do Carmo em pesquisa, Guarapari, ES, anos 50.

ANOTAÇÕES DE ALUNAS DO COLÉGIO DO CARMO
 (documentos ID 401 a 500)

 (Clique no número de identificação para visualizar o documento)
  
ID

Classe

Título/Assunto

Pesquisador

Local

Data

401 Cantiga Ao passar da barca / Era um rochedo tão alto / Os olhos de Marianita Lesy Feijó Santa Leopoldina
402 Cantiga Que é de Valentim Rita de Cássia
403 Cantiga Era um rochedo tão alto / Ao passar da barca / Quebra, quebra gabiroba Salime Alexandre Vitória
404 Cantiga Ao passar da barca / Eis um rochedo tão alto / Os olhos de Marianita / Quebra, quebra gabiroba Marly Gianordoli Anchieta / Santa Leopoldina
405 Cantiga / Poesia Periquito maracanã / Carneirinho, carneirão / Ciranda, cirandinha / Xô, pavão / Se essa rua, se essa rua fosse minha / Mamãe brigou comigo / Lá em cima daquele morro / Dona Mariquinha, tão engraçadinha / Pisa na barata, machuca essa danada / Pão, pão, pão, é de queijo, é de pão Lya Maria Vivacqua
406 Cantiga Sinhá Marreca Iedda Magaly Lacerda Vitória
407 Cantiga A velha saiu da igreja / Lá vem a sinhá Marreca Vitória
408 Cantiga Seu príncipe está lá dentro (Gata espichada) Maria da Penha Freitas, 4ª série B Vitória 01/10/1949
409 Cantiga Ao passar da barca / Era um rochedo tão alto Edith Wenersbach Bom Jesus de Costa Pereira (?) / Domingos Martins
410 Cantiga Ó bela Lilia Ivete Menezes,  4ª série B Itaguaçu 01/10/1949
411 Cantiga Ó bela Lilia Glória Maria Rabelo
412 Cantiga Senhor príncipe está lá dentro (gata espichada) Dora Monjardim RJ 01/10/1949
413 Cantiga Ó bela Lilia Maria Lucinda Beiriz, 4ª série B Iconha / Piúma
414 Cantiga Ó bela Lilia Maria Enendina Biancucci Colatina
415 Cantiga Dorme, neném / Chora, bebê / Dorme, meu filhinho / Sapo cururú / Este filhinho é meu / Nossa Senhora lavava / Sai bicho papão, de cima do telhado / Boi, boizinho Wamda Alvarenga
416 Cantiga Dorme, filhinho / Dorme, neném (2) / Su, sururu / Tutu marambá / Bam, balalão, senhor capitão / Maria lavava, José estendia Glória Maria Rabelo
417 Cantiga Dorme, filhinho / Su, sururu Paulina Gianordoli
418 Cantiga Dorme, neném (2) / Dorme,.... / Dorme, filhinho / Tutu marambá /  Tu, tururu (Su, sururu) / Maria lavava / Bicho camundongo Elza Baêta de Vasconcelos, 4ª série A Sabará, MG / São Mateus / Resplendor, MG
419 Cantiga Dorme, dorme, filhinho / Su, sururu / Dorme, filhinho (2) / Boi, boi, boi
420 Cantiga Dorme, neném (2) / Bicho papão / Su, sururu / Marly Guimarães Pralon Colatina 12/11/1949
421 Cantiga Dorme, filhinho (3) / Su, sururu / Boi, boi, boi Thereza Lindenberg Jucutuquara, Vitória
422 Cantiga / Brincadeira O cravo estava doente / Tenho uma linda laranja, ó menina Gessy Therezinha Varejão out/54
423 Cantiga / Superstição / Poesia Lá do céu caiu um cravo / Meu limão, meu limoeiro / O cravo estava doente / Minha mãe brigou comigo (2) / Lá em cima daquele morro Elzira Zanotti 16/10/1954
424 Crendice / Cantiga / Parlenda / Religiosidade Entra na roda seu sabiá, la, la, la, la la / Com Deus eu me deito Miriam Motta
425 Crendice / Cantiga / Brincadeira / Religiosidade Dorme, neném / Ciranda, cirandinha / Que é de Valentim  / Santa Maria passou por aqui / Santa Clara, clareou / O meu boi morreu / Atirei um pau no gato Ivany Rodrigues Nunes, 4ª série B, ginasial Vitória
426 Cantiga / Parlenda / Brincadeira / Poesia Bicho papão, sai de cima do telhado / Dorme, neném / Pedro Pereira Pitanga Pinto / Boi, boi, boi / Primeiro, seu lugar, sem rir / Bam, balalão / Gata pintada, quem te pintou / Pirulito que bate, bate / Meio-dia, barriga vazia / Joguei meu limão para o alto / Dedo mindinho, seu vizinho /Neném quer pão? não / Nesta rua, nesta rua, tem um bosque / Menina da saia branca Laila Moysés, ginasial, 4ª série A 12/05/1956
427 Cantiga Caranguejo soatá / Amor e desdém Arlene Rampazzo
428 Cantiga O que tens, ó Juliana Solange Aguiar Cariacica
429 Cantiga Eu vi passar pra lá, passou pra cá, ó Juliana / A canoa virou / Ciranda, cirandinha / Eu sou pobre, pobre , pobre, de mavé, mavé deci / Vamos, Maricas, vamos, vamos a Jundiaí / Eu pisei no rabo do gato, te-o-tó (atirei o pau no gato) / Pai Francisco entrou na roda / Ora, vamos buscar areia, areia do fundo do mar / O a, e, i, o, u, vamos todos aprender / Ao passar da barca Yara Vello Ribeirão Preto, SP
430 Cantiga / Poesia / Superstição Batatinha quando nasce / Meu limão, meu limoeiro / Nasci pequena, pequena sou (avenca) / Ei cana verde / Gabiroba miudinha, na ponta do galho / João curutú, atrás do murundú / O cravo brigou com a rosa / Pau, pau, pau, pau pereira ingratidão / Lá em cima daquele morro Carmelita Silveira
431 Cantiga Meu amor é marinheiro / Ao passar da barca / Se eu fosse um peixinho / No fundo do mar tem areia, onhonhá / Lá na ponte da vinhaça / A canoa virou Miyriam Berardinelli
432 Poesia / Cantiga As ondas do mar lá fora / A canoa virou Penha Lima
433 Cantiga Meu amor é marinheiro, ó marinheiro / A canoa virou / Ao passar da barca / Lá na ponte da vinhaça / Ora, vamos tirar areia, areia do fundo do mar (caranguejo não é peixe) / Se eu fosse um peixinho Vera Mattos abr/57
434 Cantiga Meu limão, meu limoeiro / Eu caí num poço fundo / Esta casa é bem feita / Lá em cima daquele morro Oracy Valente
435 Cantiga Dorme, neném (4)/ Bicho papão / Su, sururu (4) / Sai pavão, de cima do telhado / Mucama tão feia Celeste Biancucci, 4ª série Colatina / Vitória / Jacarandá (?) / Boapaba (?) / Timbuí
436 Cantiga Boi, boi, boi / Choveu, choveu, molhou meu laranjal / Su, sururu / Dorme, dorme, filhinho / Para o Zito, um apito , para o Zeca, uma peteca Marlene Vidigal São Mateus
437 Cantiga O que tens, ó Juliana? Sakdie Deps Muniz Freire
438 Poesia /Cantiga Joguei a pedra n'água / A canoa virou / Meu amor é marinheiro, ó marinheiro / Ora vamos apanhar areia / Lá na ponte da vinhaça / Ao passar da barca / Alecrim da beira d'água / Menina dos olhos d'água , me dá água pra beber / Eu caí no poço fundo, letra.... me deu a mão / Nossa Senhora da Penha, onde ela foi morar Ivany R. Nunes 26/04/1957
439 Cantiga / Poesia Caranguejo não é peixe / A bacia era de ouro, areada com sabão / Samba crioula / O mar é sagrado / Lá na ponte da vinhaça / Eu trepei na pedra verde / Lá no alto daquele morro (2) / Quando eu morrer / Alecrim da beira d'água Maria Lúcia Federici
440 Cantiga / Poesia Meu amor é marinheiro, ó marinheiro / Sou estudante da marim, marim, querem fazer revolução, revolução / O banho da igreja é bom, papai não quer deixar / Com S escrevo saudade Yolanda Rios
441 Cantiga Dona Mariquinha, tão engraçadinha / A canoa virou / O cravo estava doente / Ciranda, cirandinha / Rolinha, meu amor, caiu no laço, embaraçou / Pão, pão, pão, só é de leite se é de pão / Meu amor é marinheiro, ó marinheiro Fafana Guilherme
442 Cantiga A mamãe estava doente, não podia trabalhar / Meu amor é bonitinho / Lá em cima daquele morro (2) / Sabiá bebeu, bebeu, sabiá bebeu licor / Se eu soubesse que tu vinhas, mandaria te buscar / Dona.... Entrou na roda, está na idade, está na idade Marialva Santa Teresa / Cariacica / Linhares
443 Cantiga / Superstição Constância, meu bem Constância / Meu amor é marinheiro, ó marinheiro / Lá na minha roseira, já tem um botão / Ó flor, ó linda flor, ó flor vem cá / Senhora D. ...., entre dentro desta roda, diga um verso bem bonito / Que lindo rochedo tão alto / Vem cá, meu bem, quero te contar / A maré encheu, mas não quer vazar / Joaninha é baixotinha, aquá, quá, quá / Sambalelê está doente Vitória / Governador Valadares, MG/ Caratinga, MG / Campos, RJ / Castelo /
444 Cantiga O coco da paia de mio, esse mio é da ponta fina / Menina da saia branca Vera M. M. Ayres Colatina
445 Cantiga / Poesia Faz três noites que eu não durmo, ô la, la / pois perdi o meu galinho / Pão, pão, pão, é de leite, é de pão / Lá no alto daquele morro (3) / Rolinha andou, andou, caiu no laço, embaraçou / Se esta rua, se esta rua fosse minha Nesta rua, nesta rua tem um bosque / Jéssia Pisa Itapemirim
446 Cantiga / Adivinha / Superstição Dona Mariquinha, tão engraçadinha / O cravo estava doente / O anel que tu me deste / Ciranda, cirandinha / Carneirinho, carneirão Anna de Almeida Cruz Vitória
447 Cantiga / Poesia Que laranja madura, maninha (Tenho uma linda laranja, ó maninha) / Carneirinho, carneirão / Que rochedo tão alto / Chuva vai, chuva vem / Penedo vai, Penedo vem / Eu sou rica, rica, rica de mavé, mavé deci / Dona Mariquinha, tão engraçadimnha / Vamos passear no bosque, enquanto seu lobo não vem / Rolinha andou, andou / Xô pavão de cima do techado / Lá em cima daquele morro Ilza Maria Ferrari, 4ª série
448 Cantiga Que rochedo tão alto / Ao passar da barca / Meu limão, meu limoeiro / O cravo ficou doente, a rosa foi visitar / Palma, palma, palma Maria José Salomão Praia do Canto, Vitória 11/11/1947
449 Cantiga Ó rosa, rosa amarela / Meu amor é marinheiro, ó marinheiro / Sabiá bebeu, bebeu, sabiá bebeu licor / Meu limão, meu limoeiro / Rolinha andou. Andou, caiu no laço, se embaraçou / Ó .... Você quer ser freira? Não senhora, quero me casar Domingos Martins / Praia do Canto, Vitória / Bom Juseus do Norte (?)
450 Cantiga Ciranda, cirandinha / O a, e, i, o, u vamos todos aprender /Olha rolinha, siu, siu, caiu no laço do meu bem / Dona Mariquinha, tão engraçadinha / Ó bela Lilia / Dona.... Entrou na roda, está na idade de estudar / Maria Derly Santos Vila Velha 24/04/1948
451 Cantiga Os olhos de Marianita / Era um rochedo tão alto / Rolinha andou, andou, caiu no laço, embaraçou  / Olha o lírio, lírio branco, perto do lírio encarnado / Maria Yêdda Lemos Cunha Carvalhinho Vitória / Jacarezinho, PR
452 Cantiga Teresinha de Jesus / Dona Mariquinha, tão engraçadinha / Xô pavão / Minha mão brigou comigo / Pão, pão, pão, é de leite, é de pão / Pisa na barata, machucaq essa danada / Periquito maracanã Leda Maria Vivacqua Vitória
453 Cantiga Ciranda, cirandinha / Dona Mariquinha, tão engraçadinha / Meu limão, meu limoeiro / O cravo estava doente, a rosa foi visitar / Rolinha andou, andou, caiu no laço, embaraçou / Maria é pedra, é pedra de amolar / Esta noite eu tive um sonho Ermelinda Duarte Carneiro, 4ª série ginasial 24/04/1948
454 Cantiga Seu príncipe está lá dentro (Gata espichada) / No passo da barca (ao passar da barca)
455 Cantiga Seu príncipe está lá dentro (Gata espichada) São Pedro, Santa Teresa
456 Cantiga Bela condessa
457 Cantiga Atirei o pau no gato / Meu limão, meu limoeiro / O nani, o nani, napolitano / Pai Francisco entrou na roda / Bam, balalão, senhor capitão / Pão, pão, pão, é de leite, é de pão / Meu barco é veleiro Maria de Lourdes L. de F. Coelho 10/04/1953
458 Cantiga Tutu marambá / Põe aqui o seu pezinho / O babão entrou na roda, babão (pião) Clara Sebastiannes de Araújo 04/09/1954
459 Cantiga / poesia / Brincadeira / Superstição / Adivinha Sapo sururu (sapo cururu) / A mulher do sapo / Caso sério / Senhor príncipe está lá dentro (gata espichada) / Pão, pão, pão, é de leite, é de pão / Um livro aberto é um ente que fala / Passa, passa, gavião / O cravo brigou com a rosa / Periquito maracanã / O N é uma letra, que faz parte do ABC (gata espichada) / Morreu meu marido, no meio das flores Marília Benezath Cabral 10/04/1954
460 Cantiga Dorme, neném / Boi, boi, boi / Bicho papão Nazira Abrahão São Mateus
461 Poesia / Cantiga / Crendice Entrou pelo pé do pinto / Penedo vai, Penedo vem / Chove chuva miudinha / Cadê a margarida, olê, olê, olá Deolinda São Mateus
462 Cantiga / Poesia Ciranda, cirandinha / Lá do céu caiu um cravo / Eu caí no poço fundo / Quem quiser comprar eu vendo, um amor que já foi meu / Dentro do meu peito tem um cravo roxo dourado / Minha mãe brigou comigo (3) / Quem tiver raiva de mim / Letra A bordada a ouro / Meu amor é moreninho / Você diz que bala mata / Quem me dera estar agora / O luar, ó luarzinho / Se eu fosse um peixinho / Lá em cima daquele morro Maria Lucinda Beiriz Iconha
463 Cantiga A maré encheu / Bate, bate, martelinho / Quebra, quebra, gabiroba / Marinheiro novo / Penedo vai, Penedo vem Maria Belude São João de Petrópolis, Santa Teresa / Santa Teresa / Cariacica
464 Cantiga / Brincadeira Atirei o pau no gato / Su, sururu / Os anjos do céu, foram se deitar / Boi, boi, boi / Lua, luar, como quero te amar / Dorme, filhinho / Uni-duni-tê / Vovozinha fez xixi na panelinha Florita Coelho Santos, 4ª série Santo Antônio, Vitória
465 Cantiga / Parlenda Quem fuma cachimbo baba, os olhos de Marianita / Apagai a lamparina / Essas moças de hoje em dia Márcia Vervloet Loureiro, 4ª série A
466 Cantiga Dorme, neném / Boi, boi, boi / Bicho papão / Nana, neném ... Abrahão São Mateus
467 Poesia / Cantiga Lá em cima daquele morro / Você disse que bala mata / O anel que tu me destes / Quem me dera ter agora, um cavalinho de vento / Se esta rua fosse minha Glesias Aguiar
468 Poesia Se eu soubesse que tu vinhas / Laranjeira pequenina, carregadinha de flores / Meu anel de pedra verde / Eu caí no poço fundo / O galho da limeira Cleonice Rocha Pádua, 1° ano clássico
469 Poesia Meu bem disse que vinha, antes da lua raiar / Dentro do meu peito tem / Sai daí brasa viva / Vós pensais que por vós morro / Fui na fonte beber água (2) / Letra..., meu anelzinho / Duas correntes pesadas / Meu anel de pedra verde / Menina, o teu coração Deolinda Dantas
470 Poesia / Cantiga Lá em cima daquele morro / O anel que tu me deste / Plantei um pé de cravo / Moreninha, minha morena / Sai daí, brasa viva Anna
471 Poesia / Cantiga Lá em cima daquele morro / O anel que tu me deste / Você diz que bala mata / Plantei um pé de cravo / Joguei um cravo nas nuvens / A folha da bananeira Thereza Izabel
472 Poesia Eu de cá, vós de lá / Papapgaio come milho / Tu me mandaste esperar / É verdade e não parece / Plantei um pé de rosa / Maria José Braga
473 Poesia Lá do ceú caiu um cravo / Pus a mão em meu peito / Meu amor é bonitinho / Você diz que bala mata Lygia
474 Poesia / Cantiga Sete e sete são quatorze / O anel que tu me deste / Meu anel de pedra verde / Se eu soubesse que tu vinhas / Menina, minha menina / A folha da bananeira Maria Consuelo
475 Poesia Sentadimnho no capim / Meu benzinho mora longe / Conheço um pequeno, da escola militar / Sereno está caindo, na copa do meu chapéu / Joguei um lenço verde / O sapo fica contente Hildelvira Palma Lima, 1° ano clássico Maranhão 05/08/1952
476 Poesia Batatinha quando nasce / Lá atrás daquele morro / Quem tiver raiva de mim / A folha da bananeira / Atirei um limão na água / Atirei um limão verde / De muita gente que existe / Mente quem diz nesta vida / Sapatinho que já calcei Jerusa Cardoso Bessa, 1° ano clássico
477 Cantiga / Brincadeira Dorme, ..., ... quer dormir / Dorme, neném (3) / Boi, boi, boi / Dorme, filhinho  / A casinha de vovó, é cercada de cipó / Picolé, picolé, bate, bate / Bambarê, barê delê / Anambu Eliane Santos Nova Venécia / Linhares / São Mateus 15/05/1952
478 Poesia / Cantiga O sol prometeu à lua / O neném vai dormir muito / Dorme, neném / O bebê é muito lindo Francisca RJ / Guarapari
479 Cantiga Dorme, filhinho / Dorme, neném / Xô, xô, gatinho / Boi, boi, boi Maria D'Lourdes Santos Vitória
480 Cantiga Dorme, dorme, filhinho / Maria lavava, José estendia / Dorme, filhinho / Menina da saia branca / Xô, pavão / Sapo cururu / Menina vamos a Elvira Elvira Rios, 4ª série
481 Cantiga Bicho papão / Dorme, neném / Nana, neném (2) / Boi, boi, boi / Já é bem tarde / Dorme, menino grande Therezinha Wernersbach
482 Cantiga Dorme, neném / Boi, boi, boi / Xô, papão / Já é bem tarde Maria Aparecida Bourguignon
483 Cantiga Dorme, neném (4)/ Nana, neném / Boi, boi, boi / Sai bicho papão Maria da Penha Sarmento
484 Cantiga Dorme, filhinho (2) / Boi, boi, boi / Dorme, neném (2) / Dorme, meu anjo Vera Lúcia Villaschi Colatina / Perocão, Guarapari / Itacibá, Cariacica / Vitória / Guarapari / Iconha
485 Cantiga Dorme, filhinho / Dorme, neném (2) / Xô, xô, gatinho / Boi, boi, boi Luiza Helena Sarlo
486 Poesia / Cantiga A bonina é flor da noite / Mandei fazer um relógio / O meu boi morreu / Rolinha andou, andou / Ora vamos tirar areia / Marinheiro encoste a barca / Santa Clara clareou, o céu do meu rincão Vera Lúcia Codeceira Nogueira Vitória
487 Cantiga Dorme, filhinho (4) / Sapo cururu / Lu, lu, lu, atrás do morundu (2) / Tutu marambá / João corta pau, Maria mexe angu Auxiliadora Ribeiro
488 Cantiga Faz três noites que eu não durmo, la, lá / A tardinha sob um belo céu azul / Eu tenho uma boneca assim, que veio de Paris pra mim / Meu amor é marinheiro, ó marinheiro
489 Cantiga / Parlenda / Brincadeira / Religiosidade Dorme, neném / Bicho papão / Bicho tutu, atrás do morundu / A benção, dindinha lua / Ciranda, cirandinha / Com Deus me deito, com Deus me levanto /  Serra, serra, serrador (2) / Entrou pelo pé do pato / Gica, gica, gicadão / Uni-duni-tê Kelsia C. Reis, 4ª série A Vila Velha
490 Cantiga Minha laranjeira / Olha o tambo, olha o tambo, olha o tambo do mar / Ô ai, ai, eu vi sereia, lá na praia despregada / Meu limão, meu limoeiro / Dominó / Dorme, bebê Amália Barbosa Lima Acioly de Vasconcelos
491 Poesia / Cantiga Lá em cima daquele morro (2) / Se essa rua, se essa rua fosse minha / Lá vem a lua saindo / Dentro do meu peito tem, duas cadeiras de vidro / Minha mãe brigou comigo / Alecrim da beira dágua / Se eu soubesse que tu vinhas/ Eu caí num poço fundo Vera Maria Coelho Santos
492 Brincadeira / Cantiga Atirei um pau no gato / Que é de Valentim / Anambu / Pão, pão, pão, é de leite, é de pão / Teresinha de Jesus Teresinha Dóra Vitória
493 Cantiga Pai Francisco entrou na roda / Pião entrou na roda, pião (2) / Pão, pão, pão, é de leite, é de pão / Zoé
494 Poesia / Cantiga / Parlenda Lá detrás daquele morro / Se essa rua, se essa rua fosse minha / Sete e sete são quatorze / minha mãe brigou comigo / O cravo estava doente / O anel que tu me deste / Menina, minha menina / Eu gosto de moço alto Gessy Therezinha Varejão
495 Cantiga Mucama tão feia / Boi, boi, boi
496 Poesia / Cantiga A virgem Maria na beira do rio... Maria lavava, José estendia / Menino bonito, não dorme na cama / Xô, pavão / Mucama tão feia / Dorme, filhinho / Dorme, neném / Quando uma criança dorme, vêm os anjos a sorrir / Boi, boi, boi (3) / Tutu marambá / Sapo cururu / Dorme, dorme, filhinho Maria Julieta Silva Vitória
497 Poesia / Cantiga Sou eu, sou eu, sou eu, Martim dourado / O trem de ferro quando chega na estação / Marinheiro novo, quando for me leva /É um pássaro, periquitinho / O galho da limeira / Sabiá bebeu, bebeu / Meu amor é marinheiro, marinheiro / Eu vi, morena, eu vi, eu vi quando ele embarcou / É de Valentim, Ó lelê, sim, sim / A maré encheu / Pisa, pisa, com firmeza, xô, pavão / Maria sabe ler, Maria sabe escrever / Minha comadre eu vim aqui / Zezinho entrou na roda, com a camisa cor de rosa / São Francisco entrou na roda, dão, dão, procurando seu violão, dão, dão Sidá Tironi Martus
498 Cantiga Eu vi uma pastora, la, la, la, la, la, lito Eloiza Favarato Acioli 05/05/1958
499 Cantiga Ó Bela Lilia Baixo Guandu, MG
500 Poesia / Cantiga Lá em cima daquele morro / Vestidinho branco, em todas assenta bem / Fulana, moça bonita, do cabelo cacheado / Minha mãe brigou comigo (2) / Se você não me queria, para que me carinhou / Eu caí no poço fundo / Com S escrevo saudade / Eu joguei um limão / Ditados, bons ditados, aqueles de Salomão / Dentro do meu coração, tem duas cadeiras de vidro / Joguei um leço para cima, caiu na ponta da lua / Sete e sete são quatorze ZulmiraTherezinha Mattedi, 4ª série B Santa Teresa / Itaguaçu / Vitória, Palmeiras

Estação Capixaba

Estação Capixaba é o site voltado para a cultura, história e geografia do Espírito Santo e que busca resgatar, produzir, sistematizar, preservar e divulgar informações nessas áreas, sejam elas de autores locais ou não.

0 comentários :